Philip Seymour-Hoffman

listando por tag

 
 

#74 – A Most Wanted Man

most-wanted-man-poster

A Most Wanted Man (2014) – O homem mais procurado
roteiro: Andrew Bovell
direção: Anton Corbijn

Depois de ser brutalmente torturado, um imigrante de origem chechena e russa faz uma viagem à comunidade islâmica de Hamburgo, tentando resgatar a grande herança que seu pai teria lhe deixado. A chegada deste homem desperta a curiosidade das polícias secretas alemã e americana, que passam a acompanhar seus passos. Enquanto a investigação avança, todos fazem a mesma pergunta sobre o imigrante: seria ele apenas uma vítima ou um extremista com um plano muito bem elaborado?
(fonte: adorocinema.com)

Leia mais »

Mockingjay – Part 1

Mockingjay – Part 1 (2014) — A esperança – parte 1
roteiro: Peter Craig, Danny Strong
direção: Francis Lawrence

Após ser resgatada do Massacre Quaternário pela resistência ao governo tirânico do presidente Snow (Donald Sutherland), Katniss Everdeen (Jennifer Lawrence) está abalada. Temerosa e sem confiança, ela agora vive no Distrito 13 ao lado da mãe (Paula Malcomson) e da irmã, Prim (Willow Shields). A presidente Alma Coin (Julianne Moore) e Plutarch Heavensbee (Philip Seymour Hoffman) querem que Katniss assuma o papel do tordo, o símbolo que a resistência precisa para mobilizar a população. Após uma certa relutância, Katniss aceita a proposta desde que a resistência se comprometa a resgatar Peeta Mellark (Josh Hutcherson) e os demais Vitoriosos, mantidos prisioneiros pela Capital.
(fonte: adorocinema.com)

Leia mais »

Mary and Max

Mary and Max (2009) – Mary e Max – Uma amizade diferente
roteiro e direção: Adam Elliot

Correndo o risco de entregar a idade, admito fazer parte da geração privilegiada que curtiu infância e adolescência nos anos 80. Nessa época pré-internet, sem email, twitter ou facebook, a troca de cartas foi durante um bom tempo a única maneira (não muito cara) de se comunicar com pessoas de outros países. E é a partir dessa premissa que se inicia a estória de Mary and Max.

Leia mais »

"I’m not as stupid as you think I am."

Flawless (1999) – Ninguém é perfeito
roteiro e direção: Joel Schumacher

(resenha publicada originalmente no Vórtex Cultural, em 20/07/2013)

Um ex-policial ultraconservador, Walt Koontz (Robert De Niro), sofre um AVC enquanto tenta socorrer um vizinho. Com metade do corpo semi-paralisada, torna-se um recluso. Por indicação de sua médica, a fim de melhorar suas condições de fala, começa a ter aulas de canto com o vizinho do andar de cima, Rusty (Philip Seymour Hoffman) que, por acaso, é uma drag queen.

Leia mais »

“Is your behavior erratic?”

The master (2012) – O mestre
roteiro e direção: Paul Thomas Anderson

(Resenha originalmente publicada no Vórtex Cultural, em 27/02/2013)

A trama se passa em 1950. Um veterano da Marinha, Freddie Quell (Joaquin Phoenix) volta da guerra instável e sem certeza de seu futuro. Como tantos outros, tem dificuldade de se situar na sociedade após o retorno, não só pelas sequelas psicológicas da guerra, mas também por ser um alcóolatra. Depois de abandonar vários empregos, principalmente por causa de seu temperamento explosivo, vagando pela cidade, entra no barco de Lancaster Dodd (Philip Seymour Hoffman), que o acolhe. Dodd é o criador de uma espécie de seita ou religião – “A Causa” – que prega a existência de vidas passadas, usa a hipnose como forma de cura e métodos psicológicos pouco usuais como tratamento de problemas diversos. Quell vê-se arrebatado pela Causa e por seu carismático líder. Ele enxerga em Dodd a figura paterna que não teve. E Dodd enxerga em Quell não apenas o seguidor perfeito, como também a cobaia perfeita para testar uma nova metodologia de “tratamento”.

Leia mais »

Capote

capote

Há muuuuito tempo não posto algum comentário. Shame on me!
E este vai ser bem curto. Curto e grosso.

Assisti “Capote” (vide post do dia 12/08/06), e realmente a performance de Philip Seymour Hoffman foi simplesmente magnífica. Conseguiu me surpreender o modo como personificou e /ou incorporou os maneirismos de Trumann Capote. Não há outro adjetivo a ser utilizado que nao seja “PERFEITO”. Realmente merecido o Oscar de melhor ator.

Leia mais »