Star Wars: The Last Jedi

rey

Star Wars: The Last Jedi
roteiro e direção: Rian Johnson


 
 
 
 
No ano de 1980, foi lançado o que é considerado por muitos o melhor filme da franquia de Star Wars, O Império Contra-Ataca. Em 2015, a saga espacial teve seu retorno triunfal com O Despertar da Força, que foi recebido por muitos como uma inspiração de Uma Nova Esperança. Eis que chega o mais novo capítulo, Os Últimos Jedi. Será que sua inspiração vem de O Império Contra-Ataca e, se vem, chega aos pés do aclamado episódio V?

the-last-jedi

Começando onde o episódio VII havia acabado, em Os Últimos Jedi a Resistência está em uma situação de vida ou morte, fugindo da Primeira Ordem. Ao mesmo tempo, Rey busca entender os caminhos da força enquanto é treinada pelo mestre jedi, Luke Skywalker, um guerreiro cujo passado misterioso mudou seu rumo, ideias e crenças, fazendo-o se exilar em uma ilha afastado de todos.

O filme é escrito e dirigido por Rian Johnson, que dirigiu o excelente Looper e Brick. Este é seu quinto longa, mas ele realiza como se fosse o quinquagésimo. Há neste longa um incrível trabalho de roteiro, personagens, cinematografia, fotografia, efeitos e cenas de ação. A trama do filme se passa em menos de um dia, mas todo o momento conta, cada pedaço apresenta uma situação de urgência maior do que qualquer outro episódio da saga, aqui é tudo ou nada. Se fosse para comparar com algum anterior, Os Últimos Jedi seria comparado ao ep. VI, o clima dos dois filmes é extremamente parecido, mas neste a escala é muito maior. Na primeira cena, o longa já mostra o caminho que vai tomar, apresentando uma história tensa e sem tempo para respirar.

A direção segue em sua maior parte como os outros filmes da franquia, principalmente como O Despertar da Força, zooms rápidos nos rostos das personagens, contra-luz e planos fechados. As cenas de ação se diferenciam de qualquer outro filme, provavelmente este contém as melhores cenas de ação de todos os Star Wars. As batalhas com os sabres de luz são lindas, muito bem coreografadas, com planos abertos, sem muitos cortes, Johnson deixa as lutas fluírem; as batalhas aéreas são outro espetáculo a parte, obviamente tudo em CGI, mas nada exagerado, são cenas que não são cansativas e o publico não se perde em meio a explosões e tiros. A trilha sonora é mais uma vez composta pelo brilhante John Williams. Diferente do filme anterior, este contém sua trilha mais parecida com a da trilogia original, o que é ótimo. As pausas da trilha para um silêncio angustiante são dadas talvez até sem razão algumas vezes, mas mesmo assim deixam cada momento melhor. A fotografia, a arte e os efeitos práticos e visuais tem um trabalho incrível, toda a construção do planeta do cassino, a paleta de cores dos cenários e principalmente da batalha final com a areia vermelha são deslumbrantes.

star-wars-the-last-jedi

O elenco nesse filme é dividido em 4 núcleos, a ilha de Luke, Kylo Ren e a Primeira Ordem, a Resistência e o cassino. Daisy Ridley passa toda a sensação de medo de seu poder, de ser uma pessoa perdida e sem um rumo para tomar, apenas querendo achar um guia; Mark Hamill faz um Luke diferente do que vimos, ele é um personagem amargurado, fechado, tem seus momentos cômicos, mas no geral é um velho com medo e vergonha de seu passado e seus erros; John Boyega tem provavelmente o melhor arco, vemos nesse filme uma evolução de seu personagem, antes ele queria fugir, não havia esperança, até que ele decide enfrentar o opressor, crescendo como Finn; Adam Driver também transmite uma evolução em Kylo Ren, de um jovem mimado que quer ser igual ao avô, que toma para si a decisão de que deve ser ele mesmo e não outra pessoa, sem contar que ele e o personagem de Domhnall Gleeson tem uma química incrivel; Oscar Isaac tem em Poe Dameron um piloto que quer liderar, mas ainda sim não tem experiência suficiente para tal; Carrie Fisher até hoje encanta como a nossa Princesa Leia, apesar de fazer parte da única falha do filme; Benicio Del Toro, Kelly Marie Tran, Laura Dern e Gwendoline Christie são bons personagens que mereciam mais tempo de tela e um aprofundamento maior. Com tudo isso o que se destaca mais nas telas é o relacionamento entre Rey e Luke, e entre Rey e Kylo Ren.

Os Últimos Jedi tem um roteiro ousado, personagens fortes e bem desenvolvidos, cenas de ação de tirar o folêgo e efeitos visuais e fotografia excepcionais. Star Wars VIII não apresenta inspiração do Império Contra-Ataca, mas está definitivamente na competição para ver qual deles é o melhor Guerra nas Estrelas já feito.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *